Algures

Classe gramatical: advérbio
Separação silábica: al·gu·res
(alg[um] + [alh]ures)

1. Em alguma parte (ex.: vão encontrá-lo algures).
2. Alguma parte (ex.: ele regressou  pouco de algures).

em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco

Fundada em 2008 a ALGURES é uma associação cultural com uma identidade multifacetada e tem como natureza a criação artística articulada com a formação de públicos e a programação.

É uma estrutura consciente do seu papel e do impacto para a cidadania, por isso além de criar espetáculos que cruzam repertórios da literatura popular com a literatura erudita, programa com regularidade, abrangendo públicos diversos e contextos menos evidentes. A versatilidade do teatro narrativo tem permitido aos seus criadores regulares representarem Portugal e a língua portuguesa em festivais internacionais.

A Algures tem uma direção artística partilhada por Carlos Marques e Susana Cecílio, permitindo desdobrar-se em projetos de criação de cariz interventivo, que refletem sobre a vida contemporânea, utilizando suportes e linguagens diversificadas, como o teatro narrativo, o teatro físico, o clown, vídeo-arte e a música.

Desde 2013 a Algures afirma-se como entidade de criação, pautando-se por uma linha artística focada na ´palavra’, no teatro narrativo, spoken word, música e de mediação cultural. que atesta a coerência de todos os projetos. Assume, igualmente, um maior protagonismo na cena teatral portuguesa aventurando-se numa dramaturgia para a cena.

Entre 2008-12, a sua principal atividade incidiu na área da formação artística, gerindo o Espaço Evoé e na investigação teatral, desenvolvendo trabalhos sobre a palavra, o corpo e a narração.

Através da criação de parcerias com associações artísticas e com instituições de programação e de cidadania a Algures solidifica o seu trabalho, reforça a relação com o Alentejo e estende-se a outros territórios, sem descurar a sua cidade-sede, Lisboa.

Procura garantir o acesso das populações a atividades artísticas e a descentralização da oferta cultural, promove a inclusão e a coesão social para um desenvolvimento equilibrado das comunidades que habitam os territórios urbanos, rurais e periféricos, como é exemplo a concepção do FESTIVAL DA PALAVRA / Festa dos Contos (desde 2009).

A ALGURES atua muito para além das suas fronteiras e estabelece uma relação muito forte no Alentejo, sem descurar outros pontos do país.

 

A ALGURES é uma estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura | DGARTES – Direção-Geral das Artes e apoiada pelo Município de Montemor-o-Novo

.

ALGURES (2008) is a creation as well as a programming entity of performances and transdisciplinary objects in the areas of narrative theatre, spoken word, music, and cultural mediation. It unfolds into creation projects of an interventive nature, aiming to reflect on contemporary life, and using diverse mediums and languages, through new dramaturgies.

The work near the communities is one of its remarkable aspects, namely the creation of the Word Festival (since 2009), and programming and strategic planning of events since 2011.

ALGURES is funded by the Portuguese Republic – Culture | DGARTES and by the Montemor-o-Novo municipality.

Direção Artística

Carlos Marques e Susana Cecílio

PRODUÇÃO

Alexandra Jesus

Design

Joana Dias e Rogério Veloso

CONTACTE-NOS

aalgures@gmail.com
+351 91 77 22 180 / +351 96 24  41 270

producao@alguresalgures.pt
+351 92 66 50 519