Algures

Classe gramatical: advérbio
Separação silábica: al·gu·res
(alg[um] + [alh]ures)

1. Em alguma parte (ex.: vão encontrá-lo algures).
2. Alguma parte (ex.: ele regressou  pouco de algures).

em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco

A ALGURES é uma associação sem fins lucrativos, fundada com o objetivo de dar suporte aos artistas associados. A singularidade de cada um dos seus colaboradores traduz-se numa identidade multifacetada: espetáculos de teatro, formações, mediação cultural, programação e trabalho com a comunidade são os eixos de atuação principais, nos quais a formação de públicos é também uma preocupação.

Desde 2013 que a ALGURES se assume, primordialmente, como entidade de criação e de programação de espetáculos e de objetos transdisciplinares na área do teatro, narração oral, spoken word, música e de mediação cultural.

​Através dos seus criadores mais ativos (Susana Cecílio e Carlos Marques) a ALGURES desdobra-se em projetos de criação de cariz interventivo que visam a reflexão sobre a vida contemporânea, utilizando suportes e linguagens diversificadas, como o teatro narrativo, o teatro físico, o clown e a música. Nos últimos anos tem arriscado a criação de uma dramaturgia para a cena, recorrendo a alguns dramaturgos contemporâneos. 

Entre 2008 e 2012 a sua principal atividade incidiu na área da formação artística, gerindo o Espaço Evoé (escola de teatro, dança e música) e na investigação teatral, desenvolvendo trabalhos sobre a palavra, o corpo e a narração.

O trabalho com as diversas comunidades é outra das vertentes da estrutura, nomeadamente através das parcerias com o Município de Montemor-o-Novo, nomeadamente na concepção do FESTIVAL DA PALAVRA / Festa dos Contos (desde 2009) e desde 2011 na programação e planificação estratégica de eventos.

Estatutariamente a ALGURES pretende oferecer estabilidade profissional para os seus cooperantes, solidificando a união laboral, alicerçada em pilares criativos, e que possibilite uma afirmação do seu trabalho como agente de programação e de criação no tecido cultural português. Uma estabilidade que permita cumprir desígnios de experimentação e de aposta em processos e dramaturgias de caráter original sem esquecer a memória coletiva.

A ALGURES atua muito para além das suas fronteiras e estabelece uma relação muito forte no Alentejo, sem descurar outros pontos do país.

​Ao longo do seu percurso tem obtido inúmeros apoios para os seus projetos, através dos seus colaboradores, nomeadamente de instituições como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, a Fundação José Saramago ou do Ministério da Cultura, e parcerias com outras estruturas culturais.

ALGURES (2008) is a creation as well as a programming entity of performances and transdisciplinary objects in the areas of narrative theatre, spoken word, music, and cultural mediation. It unfolds into creation projects of an interventive nature, aiming to reflect on contemporary life, and using diverse mediums and languages, through new dramaturgies.

The work near the communities is one of its remarkable aspects, namely the creation of the Word Festival (since 2009), and programming and strategic planning of events since 2011.

ALGURES is funded by the Portuguese Republic – Culture | DGARTES and by the Montemor-o-Novo municipality.

Direção Artística

Carlos Marques e Susana Cecílio

PRODUÇÃO

Alexandra Jesus

Design

Joana Dias e Rogério Veloso

CONTACTE-NOS

aalgures@gmail.com
+351 91 77 22 180 / +351 96 24  41 270

producao@alguresalgures.pt
+351 92 66 50 519