Circulação

Classe gramatical: substantivo feminino
Separação silábica: circulação 
(latim circulatio-onisórbitacircuito)

Acto ou efeito de circular.
 Movimentação contínua de pessoascoisas ou ideias.

CONTOS COM CARLOS MARQUES

Projecto de mediação cultural de pesquisa e partilha de contos e cantos tradicionais.

Tem como destinatários todos aqueles que gostam de ler e ouvir histórias.

PÚBLICO ALVO

Adultos, crianças (M/5), adolescentes, idosos… enfim, todos aqueles que gostam de ouvir histórias.

ONDE ACONTECE

Bibliotecas, escolas, jardins, teatros, auditórios, associações, casas particulares, pátios e todos os espaços acolhedores.

Carlos Marques é Contador de histórias desde 2005 e um entusiasmado pelo mundo.

Formou-se em Estudos Teatrais na Universidade de Évora e no Institut del Teatre, em Barcelona. Trabalhou em inúmeras estruturas teatrais como free lancer. Trabalha regularmente como contador de histórias, intervindo em diversas bibliotecas, escolas e em encontros de narração oral (Palavras Andarilhas, Encontro Int. de Narração Oral de Évora, Contemfesta, Jornadas Literárias de Passo Fundo – Brasil, Féria del Libro de Buenos Aires, entre outros). É programador e narrador anfitrião do Festival da Palavra FESTA DOS CONTOS (Montemor-o-Novo). Colaborou com os centros de língua portuguesa do Instituto Camões (Zagreb, Sófia, Varsóvia e Buenos Aires). Criou e deu voz aos espetáculos-concertos “No fio do Azeite” (2019) e “Levantei-me do Chão” (2015). Foi cocriador, compositor e músico de “Pontes de Sal” de Joana Craveiro (Citemor 2018), “O Assalto” de Susana Cecílio (2018), “Um espetáculo para os meus filhos” de Rui Pina Coelho (2017), “Como Assim Levantados do Chão” de Miguel Castro Caldas, (2014). Encenou ainda “Abril em Portugal” (Helder Costa, 2014), “Constantin Gavrilovitch Acaba de se Matar” (2013), “BAQUET” (2012), “Tio Lobo” (2011) “Às vezes quase me acontecem coisas boas quando me ponho a falar sozinho” (Rui Pina Coelho, 2010). Deu voz a dois audiolivros da secção ‘HOT – Histórias Oralmente Transmissíveis’  da editora Boca – Palavras que alimentam: “Era, não era” (2011) e “Tresmalhados” (2014). Gravou e produziu dois álbuns de autor “Levantei-me do chão” (2015) e No Fio do Azeite” (2019).

Desde 2013 assume a direção artística da ALGURES em parceira com Susana Cecílio.

aalgures@gmail.com
+351 91 77 22 180 / +351 96 24  41 270

producao@alguresalgures.pt
+351 92 66 50 519